Contribuição Sindical Rural Pessoa Jurídica vence no dia 31 de janeiro de 2018

Produtores rurais, pessoas jurídicas que possuem imóvel rural, com ou sem empregados e/ou empreendem, a qualquer título, atividade econômica rural, enquadrados como “Empresários” ou “Empregadores Rurais”, nos termos do artigo 1º, inciso II, alíneas “a”, “b” e “c” do citado Decreto-lei, podem realizar o pagamento das Guias de Recolhimento da Contribuição Sindical Rural, referente ao exercício de 2018, em conformidade com o disposto no Decreto-lei 1.166/71 e nos artigos 578 e seguintes da CLT.

O recolhimento da CSR deverá ocorrer, impreterivelmente, até o dia 31 de janeiro de 2018. A orientação é da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), além de todos os sindicatos rurais do território catarinense.

O presidente da FAESC, José Zeferino Pedrozo observa que a Contribuição Sindical Rural tem base no Decreto-lei nº 1.166, de 15 de abril de 1971, artigos 578 a 591 da CLT e artigo 149 da Constituição Federal. “As guias foram emitidas com base nas informações prestadas pelos contribuintes nas Declarações do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR), repassadas à CNA pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (SRFB)”, explica Pedrozo.

As guias foram remetidas, por via postal, para os endereços indicados nas respectivas declarações, com amparo no que estabelece o artigo 17 da Lei nº 9.393, de 19 de dezembro de 1996 e o 8º Termo Aditivo do Convênio celebrado entre a CNA e a SRFB. "Em caso de perda, extravio ou não recebimento da guia de recolhimento por via postal, o contribuinte poderá solicitar a emissão da 2ª via, diretamente, à Federação da Agricultura de seu município, até cinco dias úteis antes da data do vencimento. É possível optar pela retirada pela internet no site da CNA”, complementa o presidente.

Dúvidas e questionamentos relacionados à cobrança poderão ser encaminhados, por escrito, à sede da CNA, localizada no SGAN Quadra 601, Módulo K, Edifício CNA, Brasília (DF) no CEP: 70.830-021 ou à FAESC na Rua Delminda Silveira, 200 – Agronômica, Florianópolis, no CEP: 88025-500. Também podem ser enviadas pelo e-mail cna@cna.org.br ou uga-sc@faesc.com.br.

SISTEMA SINDICAL RURAL
É o Sistema que defende, trabalha e fala em nome de todos os produtores rurais do Brasil. Constituído de forma piramidal, tem em sua base 1.940 sindicatos rurais e 1.117 extensões de base, segundo dados do Departamento Sindical – DESIN/CNA.

Esses sindicatos são representados por 27 federações estaduais, que têm na CNA a sua representação máxima. Criada por meio do Decreto-Lei n.º 53.516, de 31 de janeiro de1964, a entidade é a legítima representante do setor rural brasileiro. Essa estrutura garante a presença do sistema CNA em qualquer ponto do País.

Assim como a CNA, a FAESC atua estimulando o fortalecimento do sindicalismo rural, enquanto os sindicatos desenvolvem ações diretas de apoio ao produtor rural, buscando soluções para os problemas locais de forma associativa. Como líder do sistema, a CNA é reconhecida como única representante da categoria legalmente constituída.

O principal objetivo do sistema sindical rural é a defesa dos direitos, reivindicações e interesses, de todos os produtores rurais enquadrados como “Empresários” ou “Empregadores Rurais, independentemente do tamanho da propriedade e do ramo de atividade.


Fonte: LÊNOTICIAS
A.M

Outras Notícias

Quase um milhão de veículos trafegam com o IPVA atrasado no Rio Grande Sul

De uma arrecadação de R$ 2,581 bilhões projetada para este ano, o calendário de 2018 do Imposto sobre Propriedade de ...

Município receberá mais R$ 150 mil para investir na saúde Ipirense

A Administração Municipal de Ipira recebeu na tarde de segunda-feira (23), a visita do Deputado Estadual César Valdug...

Administração Municipal de Ipira oportuniza contribuintes quanto à regularização de pendências até o final do mês

A Administração de Ipira está oportunizando aos contribuintes com pendências junto ao Município, para se regularizar ...

Justiça determina que INSS inclua trabalho exercido ainda na infância

Uma decisão da Justiça Federal no Rio Grande do Sul tornou possível que brasileiros que começaram a trabalhar ainda n...